CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  domingo, 19 de novembro de 2017
 
19 de dezembro de 2016 - 19h46

Mato Grosso do Sul ocupa 9º lugar no ranking nacional de doenças cardíacas

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que 21% da população do estado convive com limitações por causa da doença

BÁRBARA CAVALCANTI, ISADORA LEIRIA E LARISSA PESTANA
Exercício físico é preventivo contra doenças no coraçãoExercício físico é preventivo contra doenças no coração  (Foto: Isadora Leiria)

Mato Grosso do Sul ocupa o 9º lugar entre os estados em que a população tem doença cardíaca, conforme a Pesquisa Nacional de Saúde do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada este ano. De acordo com os dados, 35% dos sul-mato-grossenses tem diagnóstico de doenças cardíacas, que equivale à média nacional. Destas pessoas, 18% convivem com algum tipo de limitação física por causa da doença em grau intenso.

Segundo informações do IBGE, 70% dos residentes em Mato Grosso do Sul receberam diagnóstico médico de Acidente Vascular Cerebral (AVC), e 9,7% tem colesterol alto e 19% são diabéticas. Para o presidente do Conselho Regional de Educação Física, Ubiratam Brito de Melo um dos principais motivos que causam as doenças cardíacas é o sedentarismo.

A médica cardiovascular Elaine Richards de Assis de Andrade afirma que faz exercícios regularmente há 15 anos, e diz ter escolhido o pilates e a musculação para melhorar a qualidade de vida. "Eu sinto a melhora quando faço atividade física. Sinto mais disposição para trabalhar, tenho menos dores musculares e articulares. Isso melhora na atividade física e na proteção cardiovascular".

Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (Sobrac) registrou uma média de 300 mil mortes súbitas por ano, decorrentes de problemas cardíacos. De acordo com informações da Sobrac, muitas dessas mortes poderiam ser evitadas por meio de hábitos saudáveis e diagnósticos precoces para tratamentos adequados.

A Sobrac também registrou que maioria das vítimas de paradas cardíacas são pessoas ativas, que passam por algum tipo de estresse ou sofrem um mal súbito. Informações publicadas pela Sobrac indicam que 60% das vítimas de mal súbito são homens, e que destes casos, 90% deles sofriam com alguma arritmia cardíaca. 

A aposentada Ducelina Ortega de Arruda passou pelo procedimento de cateterismo e recebeu dois stent no dia 13 de dezembro, por causa do entupimento de suas artérias coronárias. A aposentada diz que não teve sintomas e que seus hábitos alimentares influenciaram a condição. "Eu senti só mesmo uma canseira. Eu acho que teve a ver com a alimentação, porque eu adquiri um colesterol que não é hereditário, e às vezes foi isso que fez o entupimento das veias".

Os hábitos alimentares podem ajudar na prevenção de problemas do coração. A nutricionista Thays da Silva Nogueira explica que a melhor forma para ser saudável é procurar um médico para receber a orientação sobre uma alimentação adequada. 

As arritmias cardíacas acontecem quando há distúrbios na formação e condução de impulsos elétricos do sistema cardíaco. Quando a pessoa começa a ter complicações com o coração é possível identificar o problema ao observar diversos sintomas.

 

COMENTÁRIOS
 © Copyright 2017 Primeira Notícia