CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  sexta, 22 de setembro de 2017
 
2 de agosto de 2016 - 11h11

Banco de leite do HU precisa de voluntárias para manter estoque

CINTHIA MIGUEIS, LUANA MOURA, TAYANA VAZ
Mães voluntarias precisam se cadastrar no banco de leite para manter o estoqueMães voluntarias precisam se cadastrar no banco de leite para manter o estoque  (Foto: Tayana Vaz)

O banco de leite do Hospital Maria Aparecida Pedrossian (HUMAP) precisa de doações para que consiga manter o estoque e atender os bebês que estão internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A reserva atual é suficiente somente para os próximos 15 dias e por isso a unidade solicita voluntárias lactantes para atender a demanda. 

A coleta pode ser realizada pela mãe ou pela equipe do banco de leite e pode acontecer em duas situações, para uso do bebê durante ausência de sua mãe ou para ser estocado no próprio banco. As mães que amamentam e têm um excedente de produção, podem se candidatar a doação. A equipe da unidade faz o cadastro, coleta as informações e recolhe seus exames, mediante a precaução, são avaliados pela médica responsável pela unidade.

A coordenadora geral do banco de leite do Hospital Universitário (HU), Elizabete Kamya, explica que o processo da doação  também pode ser feito em domicilio, desde que atendam as exigências. "Toda vez que a mãe for fazer a coleta precisa prender os cabelos, colocar um lenço no cabelo, uma fraldinha do rosto, pra evitar respirar ou espirrar, ou falar sobre o leite. Precisa utilizar um frasco de vidro com tampa de plástico que o próprio banco de leite vai fornecer esse frasco estéril, que não tem contaminante e a mãe pode fazer a primeira coleta nesse próprio frasco". Para solicitar o atendimento em domicilio, a puérpera pode entrar em contato com os responsáveis da unidade pelo telefone 3345-3027.

As genitoras que não realizaram exames do pré-natal,  que utilizam drogas incompatíveis com o aleitamento materno, sejam licitas ou ilícitas, ou até mesmo que se encontram em mal estado emocional não podem ser candidatas para a doação. 

O leite materno 

De acordo com a médica pediatra neonatologista Aby Jaine, o leite materno passa para o recém-nascido elementos que são importantes na imunidade do bebê e que possuem relação com a flora bacteriana e com a imunoglobulina.

A ausência do aleitamento pode levar à doenças gastrointestinais como a diarreia, dificuldade de absorção, extensão abdominal, vômitos e também a problemas respiratórios como bronquites, asmas, alergias respiratórias e alergias cutâneas. 

Os bebês prematuros, que estão internados em Unidade Terapia Intensiva Neonatal, e que suas mães não estão em condições de manter o seu alimento, necessitam com mais urgência receber esse alimento.

Semana Mundial do Aleitamento Materno 

A "Semana Mundial do Aleitamento Materno 2016" começou na última segunda- feira, 1° de agosto, em mais de 170 países. A campanha é promovida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) com objetivo de estimular a amamentação de forma saudável e sustentável.  

Em Campo Grande, nos dias 4, 5 e 6 de agosto, haverá palestras, debates, exposição fotográfica, dança e orientação sobre o aleitamento e doação de leite humano. Os encontros vão ocorrer durante a tarde na Arena Bosque, localizado no Shopping Bosques dos Ipês.  

No dia 5, sexta-feira, a Comissão Estadual de Banco de Leite do Estado fará o lançamento do vídeo produzido no HU sobre a "Massagem Mohri Adaptada", uma técnica com cinco passos que as progenitoras podem utilizar para se auto massagear e obter uma melhor circulação do leite.

Os encontros serão realizados à tarde 

 

COMENTÁRIOS
 © Copyright 2017 Primeira Notícia