CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  sexta, 22 de setembro de 2017
 
4 de dezembro de 2015 - 07h27

Campo Grande é a capital em que os trabalhadores mais praticam atividade física

Pesquisa realizada pelo IBGE mostra que 53% dos profissionais entrevistados no município praticam caminhada devido a disponibilidade de parques e praças

GABRIELLA FERNANDES E GABRIELA GALVÃO
Prática de atividade física é realizada em academias e ao ar livrePrática de atividade física é realizada em academias e ao ar livre  (Foto: Gabriella Fernandes)

Campo Grande foi considerada a capital brasileira em que os trabalhadores mais praticam atividade física, 53% dos trabalhadores praticam caminhada rotineiramente, a média nacional foi de 46%. O resultado foi divulgado em novembro pela segunda edição da pesquisa Alelo Hábitos Alimentares do Trabalhador Brasileiro realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística(IBGE). Foram entrevistadas 3.059 pessoas em 12 capitais e outras 54 cidades que englobam a Grande São Paulo, Grande Rio de Janeiro e o interior paulista.

Os trabalhadores também declararam praticar outras atividades físicas, 27% praticam também musculação, 24% corrida e 19% são adeptos de esportes coletivos, como futebol e vôlei. A capital sul-mato-grossense tem o menor percentual de trabalhadores sedentários, são 15% contra 26% da média nacional.

O educador físico, Gilmar Simioli, interpreta os índices da pesquisa como reflexo da preocupação com a prevenção de doenças. “Muitos patrões implantaram a ginástica laboral ou outra atividade física na rotina da empresa porque viram a melhora da saúde do funcionário. O empregado trabalha mais feliz e satisfeito”.

O policial militar, Nicky Cavana, faz musculação e joga futebol americano no time amador Campo Grande Gravediggers. “A atividade física é uma terapia, desde criança minha família me incentivou e eu pretendo fazer o mesmo com meu filho”. 

O personal trainner Thiago Neves acredita que os trabalhadores em Campo Grande utilizam o esporte como lazer. “Aqui na cidade não se tem muita opção de lazer, então, o trabalhador utiliza o esporte como um momento para rever os amigos, aliviar o estresse e não com o objetivo de se tornar atleta profissional”. Ele atribui os índices alcançados a presença de parques e praças na região central e nos bairros.

O assessor da Fundação Municipal de Esporte (Funesp), Paulo Teles afirma que os trabalhadores de várias regiões da Capital são beneficiados pelos parques da cidade, o que contribui positivamente para a prática de exercícios.

COMENTÁRIOS
 © Copyright 2017 Primeira Notícia