CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  Friday, 22 de June de 2018
 
16 de September de 2014 - 17h48

Campanha Mesário Voluntário convoca eleitores para as próximas eleições

Ação de mesários contribui para que o processo eleitoral garanta ao eleitor o direito do voto

RAUL DELVIZIO
Mesários voluntários têm direito a alguns benefícios previstos em lei pela Justiça EleitoralMesários voluntários têm direito a alguns benefícios previstos em lei pela Justiça Eleitoral  (Foto: Divulgação / TRE-MS)

O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE/MS) tem 20 vagas abertas para a função de primeiro e segundo mesário, secretário e presidente de mesa, que atuarão no primeiro turno das eleições deste ano. A ação faz parte da Campanha Mesário Voluntário, que somará mais de 4.700 pessoas a outros 24 mil eleitores em todo o estado que também se colocaram à disposição da Justiça Eleitoral. As eleições 2014 acontecem no dia 5 de outubro, onde serão escolhidos governadores, deputados estaduais e federais e senadores de cada estado, além da eleição para presidência da república.

Segundo a coordenadora da campanha do TRE/MS, Valéria Hatsue, houve um aumento de 900 inscrições de voluntários comparada à adesão nas eleições anteriores, em 2010. “Não conseguimos precisar o número de participantes pois todos os dias novas inscrições são realizadas pelo portal da campanha na Internet”. Os mesários voluntários representam aproximadamente 25% do total de colaboradores em Mato Grosso do Sul. Valéria Hatsue explica que a participação para as próximas eleições é automática. “Fazemos isto para que os convocados antigos sejam trocados por novos voluntários. É um processo demorado, mas justo. Mas caso a pessoa não possa ser mais voluntária, existe um requerimento no TRE”.

O administrador Cesar Igarashi foi voluntário nas eleições passadas. "Meu interesse foi doar tempo para fazer coisas úteis. Estava em um momento prestativo e quis participar". Na mesma época, Igarashi também se inscreveu para ser jurado voluntário, e participou de dois julgamentos no Tribunal do Júri. Para ele, isto são ações de cidadania. “As pessoas deviam ter interesse em participar do processo democrático de nosso país, porém não é assim que funciona. Infelizmente, se não fosse obrigatório não teria eleição, pois faltaria mão-de-obra. E se o próprio voto não fosse obrigatório, não sei se teríamos eleitores”.

A funcionária do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), Bárbara de Almeida, foi convocada pela primeira vez para ser mesária nestas eleições. Ela acredita que isto aconteceu porque seu domicilio está próximo a um dos pontos de votação de sua Seção Eleitoral. “Soube que é cansativo participar, pois você fica um dia inteiro no local, mas ao mesmo tempo sinto que faço parte da política brasileira”. Bárbara de Almeida também disse que sempre foi curiosa para entender de perto o sistema eleitoral. “Como votar é rapidinho, você não presta atenção de como é a chegada da urna, ou as horas após o término da eleição.

Benefícios

Valéria Hatsue afirma que o aumento de adesão das pessoas à campanha é devido, principalmente, aos benefícios que elas têm direito.

Para Cesar Igarashi, esses privilégios são um atrativo ao trabalho voluntário. “É a moeda de troca. Estamos em uma cultura egocêntrica, na qual é inaceitável fazer algo sem receber uma vantagem”. Bárbara de Almeida também considera os direitos como uma contrapartida do TRE. “É o mesmo caso do doador de sangue. Aqui em MS, ele tem direito à meia-entrada em qualquer evento cultural, quase um ‘vale à cultura’. Então os benefícios aos mesários são um estímulo à cidadania”. 

A funcionária pública, que será mesária nas eleições de 2014, diz que é importante a participação do cidadão no processo eleitoral.

COMENTÁRIOS
 © Copyright 2018 Primeira Notícia