CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  Thursday, 24 de May de 2018
 
20 de November de 2017 - 08h30

Esacheu Nascimento é reeleito presidente da Santa Casa de Campo Grande

O processo eleitoral definiu nove conselheiros e a presidência para o mandato 2018/2019

BARBÁRA CESARETTO, KETLEN GOMES E VITÓRIA TESLENCO
Presidente reeleito da Associação Beneficente de Campo GrandePresidente reeleito da Associação Beneficente de Campo Grande  (Foto: Arquivo pessoal Facebook)

A Associação Beneficente de Campo Grande (ABCG), administradora do hospital Santa Casa, realizou uma nova eleição que escolheu quem vai administrar o Hospital nos próximos dois anos. A Associação possui um orçamento anual superior a R$243 milhões de repasses do Sistema Único de Saúde. O processo eleitoral escolheu Esacheu Nascimento como presidente, reeleito, para o mandato 2018-2019.

Os dois candidatos que disputaram a presidência da Santa Casa foram Esacheu Cripiano Nascimento que é o atual presidente e Jesus Alfredo Ruiz Sualzer antigo vice-presidente do Hospital. O presidente da Associação Beneficente de Campo Grande (ABCG), Esacheu Nascimento foi eleito por 21 votos a mais que chapa adversária.

Recepção da Santa Casa (foto: Vitória Teslenco)

Segundo a assessora de comunicação da Santa Casa, Carla Nantes "a chapa Gestão Sustentável e de Transparência não apresentou um plano de ações para ser efetuado durante a gestão." A Justiça Estadual determinou que os votos deviam ser realizados em duas urnas e monitorados por câmeras.  A decisão de votação separada aconteceu porque 40 associados não fizeram o recadastramento no ínicio do ano. 

De acordo com o ex-presidente da Santa Casa, Wilson Teslenco “o cargo de presidente é voluntário, exercido por uma pessoa escolhida por um conselho, durante dois anos. Essa função representa responsabilidade de liderar um grupo para administrar o hospital com o máximo de eficiência, menor custo e melhor resultado. É um compromisso muito grande, pois a Santa Casa é o principal equipamento de saúde do estado, responsável por um atendimento de alta complexidade”.

Segundo o enfermeiro da Santa Casa, Carlos Lima o Hospital precisa de muitas reformas, “ás vezes não temos nem gaze para fazer um curativo, ou linhas para suturar, os salários não são pagos no dia e existem muitas coisas simples que precisam ser resolvidas antes de reformas. Espero que nessa nova gestão com o presidente reeleito as coisas sejam melhores para os pacientes terem mais eficiência no atendimento”. 

 

COMENTÁRIOS
 © Copyright 2018 Primeira Notícia