CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  sexta, 22 de setembro de 2017
 
20 de setembro de 2013 - 16h16

Solurb paralisa serviço de coleta de lixo por falta de pagamento da Prefeitura de Campo Grande

[caption id="attachment_5344" align="alignnone" width="930"]lixos 20092013 Lixos ficaram espalhados por toda cidade nesta sexta-feira.[/caption] A Solurb, empresa responsável pela coleta de lixo e limpeza das vias públicas, paralisou os serviços na tarde desta quinta-feira (19 ) com a alegação de não recebimento de pagamentos que deveriam ter sido feitos pela Prefeitura de Campo Grande. A informação foi passada pela empresa ao presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Asseio e Conservação, Wilson Gomes da Costa, que explicou que com a paralisação até o meio-dia de sexta-feira (20), aproximadamente 800 toneladas de lixo ficaram espalhadas pela cidade. Segundo o presidente do Sindicato, a Solurb bloqueou o funcionamento dos 39 caminhões para a coleta, que são monitorados por satélite, em razão do não pagamento por parte da Prefeitura e que impossibilitou a empresa de regulamentar as parcelas dos veículos. Os mais de 400 funcionários da empresa foram liberados do trabalho desde ontem, com autorização da empresa. E conforme Wilson Gomes da Costa, eles vão à empresa somente para registrar a entrada e receberem o salário normal e, posteriormente, são dispensados. [caption id="attachment_5343" align="alignleft" width="372"]lixoss 20092013 Lixeiras ficaram lotadas.[/caption] Em bairros residenciais e na região central, onde se concentra o comércio da capital, moradores e comerciantes acordaram com o lixo ainda na frente das casas e lojas. O acúmulo do lixo além de ter poluído as ruas de Campo Grande trouxe a presença de muitos pombos próximo aos locais onde estavam os resíduos. A interrupção do serviço foi confirmada pela Prefeitura de Campo Grande que comunicou, em nota, sobre o débito com a empresa, mas que o valor foi pago ainda na quinta-feira. A empresa alega que recebeu apenas 50% do valor devido de R$ 20 milhões. Segundo informações da assessoria da Prefeitura de Campo Grande, o prefeito Alcides Bernal (PP) determinou o retorno imediato dos serviços. Reportagem e fotografia: Gustavo Arakaki
COMENTÁRIOS
 © Copyright 2017 Primeira Notícia