CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  domingo, 19 de novembro de 2017
 
7 de junho de 2015 - 07h48

Convergência de mídias implica novas competências para os jornalistas

Profissionais devem estar preparados para atuar em diferentes meios de comunicação com múltiplos suportes como vídeo, áudio e imagem

ERIKA RODRIGUES E GISLLANE LEITE
Avanço tecnológico provocou mudanças no ensino de jornalismoAvanço tecnológico provocou mudanças no ensino de jornalismo  (Foto: Erika Rodrigues)

A Pesquisa de Mídia de 2015, realizada pela Secretaria de Comunicação do governo federal, mostra que 76% das pessoas acessam a internet em busca de informações e notícias. A produção de notícias neste novo meio requer do jornalista habilidades para trabalhar com texto, áudio, vídeo e fotos em uma mesmo meio de comunicação. As rotinas produtivas no jornalismo se modificam e os profissionais devem estar preparados para atuar em um ambiente multimídia.

A jornalista Tarsila Campos trabalhou no primeiro ciberjornal de Campo Grande e teve algumas dificuldades na produção de notícias para internet, pois o curso de graduação não preparava os alunos para atuarem neste meio. Ela diz  “com o smartphone ficou muito fácil, porque na época que eu trabalhava era muito difícil ter uma foto, eu tinha que ir com uma câmera, depois voltar na redação e descarregar. Então acho que hoje ficou muito fácil qualquer pessoa dar notícia". Ela complementa “agora a gente está passando por um novo momento do jornalismo digital, em que qualquer pessoa pode tirar uma boa foto, pode pautar a redação. Você não precisa mais que o jornalista esteja na rua pra fazer isso, você tem as pessoas munindo a redação de informação.”

O impacto das inovações tecnológicas e a convergência de mídias no jornalismo foram debatidos pelo Grupo de Trabalho coordenado pela Prof. Dra. Katarini Miguel no dia dois de junho no 6º Simpósio de Ciberjornalismo . O evento aconteceu na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

A professora da Universidade Católica de Brasília, Fernanda Vasques, apresentou sua experiência na condução do Jornal Laboratório Artefato, um jornal impresso produzido pelos alunos de jornalismo da instituição que  possui conteúdo na internet. Ela considera fundamental que as universidades ofereçam disciplinas integradas na graduação, que preparem os acadêmicos para este novo cenário.

O Grupo apresentou temas como a convergência e inovação jornalística em revistas para tablets, quais as práticas nas formas de transmissão de informações em um contexto transmídia e quais são as intersecções entre jornalismo e tecnologia. A professora Dra. Katarini Miguel apresentou trabalho de pesquisa sobre a narrativa hipermídia no jornal Estado de São Paulo. Ela acredita que a graduação em Jornalismo deve preparar os estudantes para produzir conteúdos para as diferentes plataformas.

COMENTÁRIOS
 © Copyright 2017 Primeira Notícia