VOLTA ÀS AULAS

Universidades privadas voltam às aulas presenciais em Campo Grande

As aulas retornaram gradualmente desde o dia oito de setembro devido ao avanço da vacinação para a população jovem na capital

Beatriz Brites, Glória Maria Pinho, Maria Fernanda Martins, Maria Luiza Barbosa21/09/2021 - 16h23
Compartilhe:

A Universidade Anhanguera-Uniderp e a Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) reiniciaram suas atividades na segunda semana de setembro. A imunização em massa dos estudantes contra a Covid-19  garantiu a volta às aulas de forma mais segura para todos que convivem no ambiente universitário. Na UCDB os alunos dos cursos que possuem atividades práticas na estrutura curricular podem frequentar os laboratórios desde julho deste ano. Ambas universidades seguem os protocolos de Biossegurança desde a retomada.

De acordo com os dados disponibilizados no Alerta Coronavírus, a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul aplicou mais de 3.720.099 doses de vacinas e alcançou o percentual de 58.3% da população vacinada com as duas doses. A Secretaria Municipal de Saúde (SESAU) contabilizou mais de 1.256.097 doses aplicadas na população em Campo Grande, a partir dos 12 anos, de acordo com os dados do Vacinômetro. De acordo com o portal da Transparência da Covid-19, a capital totaliza mais de 16.398 doses aplicadas em jovens, entre 18 e 29 anos, sem comorbidade, com a segunda dose. O plano de retorno das aulas presenciais está em andamento desde o final de 2020, com o Decreto n° 14.455, publicado no Diário Oficial de Campo Grande (Diogrande), quando o regulamento dispôs regras para o retorno presencial na rede particular de ensino. O decreto foi atualizado, em fevereiro deste ano, e sofreu alterações que autoriza a volta das aulas presenciais também em universidades e faculdades a partir de oito de março de 2021.

A estudante do curso de Medicina Veterinária da UCDB, Luiza do Valle diz que a universidade toma todas as medidas de segurança contra a Covid-19, para manter o distanciamento social. “As salas são divididas com menos pessoas que o normal. Geralmente as salas estão lotadas, então tem semana que vai uma turma para a aula prática e tem semana que vai outra. Eles coseguem dividir de um jeito que não fique tão lotado. Nas aulas teóricas eles colocam as mesas com um espaçamento maior que o normal, os alunos não se sentem tão próximos um do outro como era antes”. A estudante do curso de Jornalismo da Universidade Anhanguera-Uniderp, Karol Duarte diz ser a favor da volta às aulas no ensino presencial. “Sou a favor, pois vejo todas as pessoas da minha sala que vão para festas, por que não podem ir para faculdade? Temos que levar em consideração que já estamos todos vacinados e as coisas precisam voltar ao "normal", nem que seja gradativamente.”.

A assessora de Comunicação da Anhanguera-Uniderp, Michelle Araújo declarou que "para preservar a saúde de todos foi adotado um rígido protocolo de segurança, com higienização, medidas de proteção e distanciamento, conforme recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e Ministério da Saúde. Entre essas medidas está o uso obrigatório de máscaras, checagem de temperatura, disponibilidade de álcool gel para higienização das mãos e tapetes desinfetantes na entrada dos ambientes. A unidade prevê ainda maior distanciamento entre alunos nas salas de aula, clínicas e laboratórios, além da readequação dos intervalos e espaços coletivos para evitar aglomerações". Conforme a assessora, caso um aluno teste positivo para a Covid-19 “as atividades administrativas serão suspensas para higienização da unidade como um todo.”.  Nas duas universidades as portas e janelas permanecem abertas para ventilar o ambiente, e também, foi programado uma rotina de limpeza, com álcool em gel 70º no local, que acontecem regularmente.

Primeira Notícia · Estudante da Anhanguera Uniderp Mariana Mello, fala das dificuldades da volta às aulas presenciais

A Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) funciona remotamente desde 2020. A Portaria RTR Nº 1.235, de 19 de fevereiro de 2021 autorizou o ensino híbrido nos cursos de Graduação e Pós-Graduação, para cursos que também contém atividades práticas, como Medicina, Química, Ciências Biológicas, Medicina Veterinária e Zootecnia, entre outros. As aulas são ministradas com turmas reduzidas para cumprir o distanciamento social. O reitor Marcelo Turine declarou que, conforme as condições sanitárias, as aulas retornarão de forma 100% presencial no mês de março de 2022. O professor do curso de Agronomia da UCDB, Cleber Jadoskie a aluna do curso de Jornalismo da Uniderp, Karol Duarte destacaram que estão ansiosos pela volta às salas de aula e a retomada da normalidade da educação presencial.

Compartilhe:

Deixe seu Comentário