CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  quarta, 22 de novembro de 2017
 
15 de maio de 2015 - 11h46

Professores se mobilizam e Governo do Estado recua

Impasse continua e nova reunião para impedir greve acontecerá na quarta

GUILHERME PIMENTEL
Servidores estaduais da educação lotaram Assembléia LegislativaServidores estaduais da educação lotaram Assembléia Legislativa  (Foto: Guilherme Pimentel)

A mobilização dos servidores da educação de Mato Grosso do Sul, na manhã de quinta-feira, treze de maio, resultou no recuo do Governo do Estado, em relação ao Projeto de Lei n° 48/2015, previsto para ser votado em sessão da Assembleia Legislativa.

Mais de mil servidores foram pressionar o poder legislativo, que logo no início da sessão, anunciou a retirada imediata do projeto, A informação foi dada pelo deputado estadual Onevan de Matos (PSDB), que preside os trabalhos no lugar de Junior Mochi (PMDB). A decisão do governador, de não mudar as regras, foi bastante aplaudida pelos manifestantes.

Segundo a Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (FETEMS), 20 mil professores suspenderam as atividades, o que deixou 270 mil alunos sem aulas em todo o Estado.

Presidente da FETEMS, Roberto Botarelli

De acordo com o presidente da FETEMS, Roberto Botarelli, a mobilização estadual é contra, entre outras reivindicações, os administrativos capacitados em educação não poderem disputar o processo eleitoral para Diretor da Instituição. “Atualmente, seis escolas são dirigidas por profissionais da educação, sendo que uma delas, a Escola Estadual Neider Sueli, do bairro Aero Rancho, em Campo Grande, foi reconhecida pela Secretaria da Educação, na administração passada, como uma escola modelo no quesito alfabetização.”

A retirada do projeto, segundo Botarelli, indica que o governo tem a intenção de retomar as negociações. Mesmo assim, a categoria vai manter a votação do indicativo de greve, assim como, as reuniões marcadas para aproxima semana para discutir o posicionamento do governo.

O encontro com representantes do poder Executivo está agendado para sexta-feira, 15, às 10h. Na quarta-feira, 20 de maio, haverá reunião com a categoria para decidir sobre o início de uma greve no dia seguinte.

COMENTÁRIOS
 © Copyright 2017 Primeira Notícia