EDUCAÇÃO

Educação básica utiliza plataformas digitais e cadernos de atividades impressos para aulas remotas

A decisão das instituições de ensino básico ocorreu para cumprir o decreto de suspensão das aulas presenciais em Mato Grosso do Sul

Bianca Tobin, Nathália Alcantara e Taís Wölfert20/04/2021 - 12h18
Compartilhe:

O ensino básico de Mato Grosso do Sul interrompeu as aulas presenciais e aderiu ao ensino à distância (EAD) em cumprimento ao Decreto Nº 15.393 que suspendeu as aulas presenciais no estado para conter o avanço da Covid-19. De acordo com Decreto Nº 3.745 as escolas da Rede Estadual de Ensino devem enviar e realizar a devolutiva de atividades pedagógicas complementares, enquanto que, o Decreto Nº 14.635 estabelece que os colégios privados podem utilizar 50% da capacidade, seguir o plano de biossegurança da instituição e distanciamento.

A assessora de imprensa da Prefeitura Municipal de Campo Grande, Lidiane Kober informou que o atendimento remoto aos estudantes da Rede Municipal de Ensino é realizado com o uso de plataformas tecnológicas como internet, televisão, rádio e cadernos de atividades impressas. As aulas são veiculadas na TV Reme por meio do canal 4.2 da TVE, pelo Youtube, no aplicativo da  Rádio  Reme e por texto, áudio e vídeo. Alguns professores usam plataformas como Google Meet e Zoom. Alunos sem acesso à internet utilizam o caderno-base da Rede Municipal de Ensino.

O assessor de imprensa da Secretaria de Estado de Educação (SED) de Mato Grosso do Sul, Marcus Vinícius Espíndola relata que as atividades são realizadas remotamente com auxílio de aplicativos como Google e Microsoft, e que o retorno das atividades presenciais na Rede Estadual é incerto. Os alunos com acesso reduzido à internet recebem materiais impressos. 
 
A professora Fabiane Brito explica que as crianças possuem celular sem acesso à internet. "Para mim, ao invés de investir em tantas outras coisas que estão investindo enquanto a gente não retoma, tinha que garantir pelo menos a internet, porque celular eles têm, mas a internet não".

Fabiane Brito explica que a mudança trará uma lacuna e defasagem na aprendizagem. "O aluno recebe o impresso, mas até ele devolver pra mim, para eu dar o feedback, eu perdi o "time". Como que um aluno melhora a aprendizagem? Percebi meu erro, professor corrigiu, eu refiz, eu aprendi. Por isso, eu vejo que o vazio vai ser imenso quando a gente retornar". 

Segundo a costureira Sandra Souza, o ensino com a apostila é mais difícil por causa da falta de contato direto do aluno com um professor para esclarecer as dúvidas no momento. "O rendimento da minha filha que estuda na rede municipal de ensino caiu muito desde que começou o ensino remoto. Possui uma defasagem, os alunos se distraem mais facilmente, muitas vezes não conseguindo manter o cronograma proposto".

De acordo com a psicopedagoga Raquel Marques, o emocional em uma pandemia demanda cuidados específicos, pois a interação social é fundamental. Os reflexos das restrições sociais são a agitação, irritabilidade, alterações de sono, dependência excessiva dos pais e aumento da ansiedade. As famílias sofrem com sobrecarga e desgaste emocional devido a rápida adaptação a essa nova perspectiva.

Primeira Notícia · Psicopedagoga Raquel Marques comenta sobre a questão da socialização dos alunos durante a pandemia

Raquel Marques destaca que existem pontos positivos neste cenário, como a valorização dos professores, o uso de tecnologias e a aproximação da família com a escola. "As famílias se tornam ainda mais responsáveis pela mediação da aprendizagem de seus filhos, isso deve gerar um trabalho colaborativo entre família e educação. Nós podemos perceber que muitas famílias, as mais ocupadas ou mesmo aquelas que não estavam tão presentes passaram a vivenciar o momento do ensino durante a pandemia". 

Raquel Marques afirma que a educação é importante no desenvolvimento de novas habilidades. "Sem dúvida, nós não gostaríamos de estar passando por uma pandemia. Mas, isso tudo faz com que nós percebemos a necessidade de ressignificar a educação, de se pensar em maneiras mais efetivas de desenvolver novas competências nas crianças, algumas competências essenciais para formação humana. Destaco a criatividade e a originalidade, a resolução de problemas complexos, a flexibilidade cognitiva, a inteligência emocional, o trabalho em equipe, a tomada de decisão, isso tudo nós chamamos de habilidades necessárias para o futuro, para o desenvolvimento dos nossos alunos". 

 

Compartilhe:

Deixe seu Comentário