CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  Sunday, 19 de August de 2018
 
26 de March de 2018 - 11h03

Pesquisa Fecomércio aponta aumento de 16% em microempresas no estado

Mato Grosso do Sul registrou um aumento de 15.362 microempreesas entre janeiro de 2017 e 2018

DOUGLAS FERREIRA, IGHOR AVANCI E SILVIA SOUZA
Federação do Comércio, Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do SulFederação do Comércio, Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul  (Foto: Gabriel Henrique)

A Federação de Comércio, Bens, Serviços e Turismo do Estado do Mato Grosso do Sul (Fecomércio MS) realizou uma pesquisa entre os microempreendedores do estado e constatou que de 2017 para 2018 o número de empresários da categoria aumentou em 15,76%. Estão registrados no estado 112,8 mil microempreendedores individuais (MEIs), a diferença entre janeiro de 2018 para janeiro de 2017 são de 15.362 registros a mais, em 2017, o número era de 97,4 mil MEIs.

O aumento de microempreendedores em Mato Grosso do Sul acontece há 3 anos consecutivos. De acordo com a pesquisa da Fecomércio o crescimento de 2015 para 2016 foi de 16,8% e em 2017, 16%.

A economista e gestora do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Fecomércio/MS- IPF/MS, Daniela Teixeira Dias afirma que os principais motivos para o aumento das MeI's é "o estimulo a formalidade dos negócios. A microempresa pode surgir como uma alternativa de renda. Então mesmo diante de uma instabilidade econômica, a figura do MEI pode demonstrar uma criatividade e uma noção de empreendedorismo como uma forma de geração de renda. A grande preocupação nessa circunstância, é o fato de que há uma necessidade de um planejamento, além da geração de renda".

O economista Michel Martines afirma que Microempreendedor Individual (MEI) é uma categoria criada pelo governo no Regime Tributário Simples Nacional para regularizar os profissionais autônomos. “O MEI tem um teto de faturamento que esse ano está na média de 6.750 [mensal] ou 81 mil anual. Ele é acumulativo, pode extrapolar no máximo 20%, ou seja, 16.200 a mais, 97.200 ao final do ano. Se ultrapassar ele pode desenquadrar e vai automaticamente para o outro enquadramento de regime tributário, geralmente vai para microempresa (ME)”.

A microempreendedora Cristiane Aparecida administra uma empresa do ramo de pet shop e estética animal desde fim do ano de 2016. Segundo Cristiane Aparecida o empreendedor desta categoria possui um limite de faturamento. “Você [MEI] têm limite de faturamento anual, de 2017 foi 60 mil, esse ano é 81 mil. Em cima desses 81 mil nós temos um x de lucro que é 32% em cima do faturamento, esse é um lucro bruto, esse seria o limite”. Ela afirma que há cobrança de impostos. “Pago um imposto, ele [MEI] só está isento dos impostos federais. Você [MEI] paga um imposto de INSS, ISS, que hoje faz um entorno de 50 reais”.

Serviço 

Informações para cadastrar um MEI, acessar a página na internet Portal do Empreendedor

COMENTÁRIOS
 © Copyright 2018 Primeira Notícia