CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  Sunday, 22 de April de 2018
 
9 de August de 2016 - 07h23

Incubadoras municipais oferecem vagas para novos microempreendedores

Empresas devem apresentar projetos inovadores para participarem da seleção

DANIELLE MUGARTE, LARISSA FERREIRA E MARIA CAROLINA LINS
Incubadora Zé Pereira trabalha no ramo do artesanatoIncubadora Zé Pereira trabalha no ramo do artesanato  (Foto: Danielle Mugarte)

As incubadoras municipais de Campo Grande estão com os editais abertos até o dia 16 de outubro. São 25 vagas para quem deseja apoio nos negócios ou para quem iniciará uma microempresa. Os centros de desenvolvimento de negócios, como são conhecidas as incubadoras, estão instalados nos bairros Estrela Dalva I, Mário Covas, São Conrado e Zé Pereira.

 

As incubadoras são locais onde os empreendedores recebem por até dois anos apoio para infraestrutura, financeiro e de gestão, nas fases para consolidar a ideia da empresa, implantação, desenvolvimento até a consolidação do negócio. De acordo com o gestor de convênios do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) com incubadoras, Vitor Gonçalves Faria é possível receber suporte presencial, que oferece ao empresário um espaço, consultoria e apoio técnico, e o suporte à distância, em que são dados consultoria e apoio técnico.


 

Os centros de desenvolvimento de negócios têm parceria com o Sebrae. Segundo pesquisa feita pelo órgão, o microempreendedorismo teve um aumento de 18% em Mato Grosso do Sul nos últimos dois anos. Faria diz que este crescimento se deve ao atual momento de recessão econômica do país e, como várias pessoas perderam empregos, muitos se arriscaram na tentativa de abrir o próprio negócio.

 

Faria ressalta que mesmo que os editais estejam abertos, há critérios a serem atendidos. Um deles é que a empresa tenha uma proposta inovadora. “Tem que ficar claro que a atuação das incubadoras é com as empresas inovadoras, que estão desenvolvendo algo novo pro mercado, que tenha um impacto relevante para a sociedade”. Ele destaca também que a procura pelos centros é baixa. “Hoje infelizmente a busca pelas incubadoras está pequena. Até os próprios gerentes e gestores do processo de incubadoras municipais solicitam que a gente faça divulgação, porque o público realmente não tem procurado”.

 

Lécia Cordeiro diz que há dois tipos de aluguéis cobrados em todas as incubadoras municipais e que eles dependem do tamanho da sala escolhida, no bairro Zé Pereira uma sala de 35 m² custa 135 reais, enquanto a de 70 m² é 350 reais.Na incubadora municipal de artesanato do Zé Pereira há somente duas empresas, ambas fazem trabalhos com material reciclado. A gerente do centro, Lécia Lopes Cordeiro, fala que além do espaço, realizam ações como treinamento, capacitações, consultorias e palestras e proporciona o apoio em todas as fases de crescimento da empresa.

Serviço
 
Para participar, os interessados devem realizar as inscrições nas incubadoras.

Incubadora Zé Pereira (Artesanato): Rua Eugênio Perón, 676 - Jardim Zé Pereira

Incubadora Mário Covas (Confecção Têxtil): Rua Leandro da Silva salina, 688 - Res. Mario Covas

Incubadora Norman Edward Hanson (Alimentos): Avenida Gen. Alberto Carlos Mendonça Lima, 2251 - Jardim São Conrado

Incubadora Francisco Giordano Neto (Artefatos de couro e tecnologias): Rua Marquês de Leão, 1214 - Estrela Dalva I

 
COMENTÁRIOS
 © Copyright 2018 Primeira Notícia