CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  Sunday, 27 de May de 2018
 
8 de May de 2018 - 15h47

Agência Nacional de Energia Elétrica determina aumento no preço de energia no Estado

Consumidores residenciais e de alta tensão da capital têm aumento médio de 9,87% na fatura de energia elétrica

Consumidor residencial tem acréscimo de 10,65% na contaConsumidor residencial tem acréscimo de 10,65% na conta  (Foto: Paula Navarro)

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, no dia 3 de abril, o aumento na fatura de energia elétrica de um milhão de unidades consumidoras dos 74 municípios de Mato Grosso do Sul. A decisão entrou em vigor no dia 8 de abril. O acréscimo na tarifa de energia elétrica é válido para consumidores residenciais e consumidores de alta tensão atendidos pela empresa concessionária de energia elétrica do Estado, Grupo Energisa.

A resolução da Aneel define o reajuste de 10,65% para consumidores residenciais e 7,91% para os consumidores de alta tensão, o que representa aumento médio de 9,87% para a empresa Energisa MS. O percentual foi definido pela Agência Nacional com base nos relatórios apontados pela empresa concessionária de energia do Estado. O novo valor para a modalidade residencial é de 0,54 centavos por quilowatt-hora consumido.

O gerente corporativo da Regulação Econômica da Energisa MS, Felipe Tenório Vicente explica que a tarifa de energia elétrica é um processo regulado e definido pela Aneel para qualquer empresa prestadora do serviço.

De acordo com a publicação da Assessoria de Imprensa da Agência Nacional de Energia Elétrica na internet, “a revisão tarifária periódica reposiciona as tarifas cobradas dos consumidores após analisar os custos eficientes e os investimentos prudentes para a prestação dos serviços de distribuição de energia elétrica”.

O aposentado José Martins é paciente da hemodiálise e afirma estar preocupado com o aumento. “Desde que fui diagnosticado com falência dos rins, faço muito uso do ar-condicionado. Me preocupo por que a minha conta de energia já era cara, e agora vai ficar mais ainda”.  O aposentado explica que só pode consumir um litro de líquido por dia e por isso evita ficar em ambiente muito quente. “Como não posso beber muita água, evito passar calor e procuro ficar mais tempo em ambientes climatizados”.

O engenheiro elétrico Kleber Velho Neves explica que algumas estratégias podem ser adotadas para economizar energia elétrica. “Ao adotar pequenos hábitos diariamente, o consumidor pode diminuir consideravelmente o valor da conta de luz. São pequenas atitudes que fazem grande diferença no final”.

Outro fator que deve alterar a fatura de energia elétrica é a taxa diferenciada pela cor da bandeira. A bandeira amarela foi acionada neste mês, pela Aneel, devido ao fim do período chuvoso, que resultou na utilização de mais usinas térmicas – produção de energia mais cara. A adesão à bandeira amarela representa o acréscimo de R$ 1,00 a cada 100kw/h.

BANDEIRAS TARIFÁRIAS DE ENERGIA

O Sistema de Bandeiras Tarifárias foi implantado pela Aneel em 2015 com a finalidade de informar o consumidor sobre custos adicionais na conta de energia em razão das condições de geração de eletricidade. A bandeira verde, amarela ou vermelha é acionada conforme o nível dos reservatórios, que determina quando as hidrelétricas perdem a capacidade de abastecimento e as termelétricas – recurso mais custoso - são ligadas para suprir a demanda de geração de energia.

COMENTÁRIOS
 © Copyright 2018 Primeira Notícia