CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  domingo, 24 de setembro de 2017
 
3 de fevereiro de 2017 - 16h01

Taxa de iluminação pública volta a ser cobrada em Campo Grande após suspensão de 6 meses

Arrecadação da Cosip é destinada a substituição das luzes comuns por lâmpadas de LED

GUILHERME SOUZA, JOAQUIM PADILHA E JULIANE GARCEZ
Prefeitura retoma manutenção da iluminação pública dos bairros da capitalPrefeitura retoma manutenção da iluminação pública dos bairros da capital  (Foto: Guilherme Souza)

A taxa de iluminação pública voltou a ser cobrada em Campo Grande, após seis meses de suspensão. Liminar concedida pelo juiz da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos da Comarca de Campo Grande, David de Oliveira Gomes Filho, determinou no dia 5 de janeiro de 2017, a retomada da taxa. Os valores são arrecadados pela Contribuição para o Custeio da Iluminação Pública (Cosip) e destinados à iluminação pública dos bairros da cidade. Os recursos também são utilizados para reparar e expandir os focos de luz dos bairros. 

O recolhimento do tributo é feito pela concessionária responsável pelo fornecimento de energia elétrica na cidade, a Energisa, junto a Prefeitura de Campo Grande. A informação sobre suspensão da cobrança foi divulgada na publicação da Lei Complementar número 285, na edição de 25 de julho de 2016, do Diário Oficial de Campo Grande (Diogrande). A medida foi vetada pelo então prefeito Alcides Bernal, do Partido Progressista (PP). O veto foi posteriormente derrubado pela Câmara Municipal de Campo Grande.


 
    Manutenção da iluminação pública é retomada. Foto: Guilherme Souza

Segundo o secretário Municipal de Finanças e Planejamento (Sefin) de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto o saldo financeiro da Cosip até maio de 2016, era de 53 milhões e as despesas mensais de R$ 1,5 milhões. Ele afirma que os projetos de restauração da iluminação pública da capital foram retomados em janeiro. “Nós retomamos esse serviço que nos últimos meses da administração anterior não estava sendo feito”.

O secretário Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sesip), Rudi Fiorese explica que a prefeitura deve trocar pelo menos 28% das 140 mil lâmpadas de toda a cidade, por lâmpadas de LED, em um prazo de quatro meses. “A secretaria leva dez dias úteis para atender as reclamações do público. Uma equipe, que em uma ação preventiva poderia trocar até 45 lâmpadas, por exemplo, neste trabalho pontual de reposição acaba trocando somente 20 a 25”. De acordo com secretário, o retorno da arrecadação da Cosip é importante para atender as demandas públicas.

O comerciante Delcídio Barbosa afirma que o valor na sua conta de energia aumentou e ressalta que a situação da iluminação do bairro Nova Lima, onde mora, é precária. “Lâmpada de LED? O que chegou aqui foi a taxa de R$ 90 da Cosip na minha conta. Eu pago R$ 200 e o poste mal funciona. Tem dia que a luz acende e dia que não. Imposto tem bastante, mas melhoria nenhuma, isso aqui está uma calamidade”.

Claudia de Moraes reclama da falta de iluminação. Foto: Guilherme Souza

Segundo a vendedora Cláudia de Moraes, a falta de iluminação do bairro Nova Lima, localizado na região norte de Campo Grande, a deixa insegura. “É muito escuro aqui e, como têm muitos terrenos baldios e árvores, é perigoso ter assalto. Tenho medo”.

Fiorese afirma que as reclamações serão atendidas o mais rápido possível. “Hoje tá uma situação atípica porque estamos atendendo demandas que vieram dos últimos meses da gestão anterior. Esperamos que dentro de 90 dias possamos colocar esses pedidos em ordem”.

Serviço

Para fazer uma reclamação, sobre falta de iluminação ou mal funcionamento das lampadas, a Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos tem um número de telefone para atendimento: 3314-3675.

COMENTÁRIOS
 © Copyright 2017 Primeira Notícia