CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  segunda, 20 de novembro de 2017
 
12 de fevereiro de 2017 - 10h42

Prefeitura fecha convênio com Comando Militar do Oeste para recapeamento de ruas de Campo Grande

Investimento será de R$ 24 milhões com prazo máximo de conclusão de dois anos

GUILHERME SOUZA, JOAQUIM PADILHA E JULIANE GARCEZ
Militares farão obras nas ruas Guia Lopes e Brilhante e avenidas Marechal Deodoro e Bandeirantes.Militares farão obras nas ruas Guia Lopes e Brilhante e avenidas Marechal Deodoro e Bandeirantes.  (Foto: Guilherme Souza)

A Prefeitura de Campo Grande firmou parceria com o Comando Militar do Oeste (CMO) para recapear 12km de vias na região sudoeste da capital. O projeto foi apresentado durante evento no dia seis de fevereiro, no quartel do 9º Grupamento Logístico (9º Gpt Log). De acordo com o prefeito Marcos Trad, o investimento será de 24 milhões de reais e o valor será financiado pela Caixa Econômica Federal e pago pela prefeitura.
 

Marcos Trad apresenta projeto de recapeamento. Foto: Guilherme Souza

Trad explica que o projeto foi criado durante a gestão do ex-prefeito Alcides Bernal, em 2016, com investimento de R$ 19 milhões. “Nós agilizamos o processo porque a obra não se concretizava, não saia do papel. A comunicação entre a prefeitura e o CMO passou a ser consensualizada e com menos de 30 dias nós já estamos com as obras em Campo Grande”. De acordo com o prefeito, a justificativa do aumento do valor total da obra é que o material será de melhor qualidade e o serviço mais técnico.

Segundo o comandante do CMO, general Gerson Menandro os profissionais responsáveis pelo trabalho de recapeamento são militares da qualificação de engenharia do Exército Brasileiro. “O efetivo vem principalmente de Cuiabá, onde nós temos um batalhão de engenharia de construção. Nós também temos um batalhão apto aqui em Aquidauana e em Jardim. Já o corpo mais técnico de engenheiros e arquitetos é aqui de Campo Grande mesmo.”

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Pesada de Mato Grosso do Sul (Sinticop/MS), Walter Vieira dos Santos afirma que o convênio firmado entre a prefeitura e o CMO não gera emprego. “Este tipo de parceria deixa de gerar pelo menos 200 empregos diretos no setor. No momento em que se estudam medidas para a retomada da economia, esta atitude da prefeitura vai na contramão para diminuir o desemprego". General Menandro ressalta que o material vem de outros estados e que os militares recebem treinamento especial em Araguari, município do estado de Minas Gerais.

 

A região sudoeste de Campo Grande terá 12km de vias recapeadas pelo CMO.

 
A rua Guia Lopes será a primeira via recapeada, depois a rua Brilhante e as avenidas Marechal Deodoro e Bandeirantes. Trad afirma que o serviço tem o prazo de conclusão de 24 meses, com a garantia de um novo asfalto, com maior durabilidade.“Teremos a pavimentação dos corredores de ônibus com estrutura polimerizada, que é um tipo de asfalto mais flexível e mais caro, mas com maior vida útil”. Trad ressalta que a prefeitura deve firmar novos convênios com o Comando Militar do Oeste para estender o serviço a outras ruas de Campo Grande que precisam de manutenção.



Menandro afirma que os militares realizarão o serviço durante o dia e a noite, e que os dias chuvosos, em que não trabalharem, serão compensados nos finais de semana. “Nós temos um prazo de 24 meses, mas nós faremos todo o possível para entregar a obra em um tempo mais curto e se possível restituindo recursos financeiros”. O comandante do 9º Batalhão de Engenharia da Construção, Tenente Coronel Ronaldo Matias Soares explica que o processo de repavimentação das vias começou pela análise do projeto seguido pelo laboratório de solos, onde se testa o material a ser utilizado.
 

Novo asfalto deve ser mais caro e com maior durabilidade. Foto: Guilherme Souza


Soares ressalta que outros serviços estão previstos no projeto. “Nós temos aí um calendário a partir de abril ou maio, quando encerrarem as chuvas, nós vamos iniciar todos os outros serviços, não só a pavimentação. São seis quilômetros com meio fio, sarjetas, plantio de árvores e pisos para portadores de deficiência."

O comerciante Arnaldo Barbosa afirma que a pavimentação das vias da região sudoeste de Campo Grande é essencial para evitar acidentes de trânsito. “Eu passo todos os dias por essas ruas para ir trabalhar e o fluxo é intenso, os buracos atrapalham e causam acidentes”.

Segundo a professora Dalva Fernandes, moradora do bairro Estrela do Sul, o serviço deveria ser realizado em outros locais de Campo Grande que necessitam de recapeamento. “Não adianta recapear apenas algumas ruas e tapar os buracos das outras, nós precisamos de um serviço definitivo e de qualidade, porque cada vez que chove são novos buracos que aparecem.”

COMENTÁRIOS
 © Copyright 2017 Primeira Notícia