INFRAESTRUTURA

Antiga rodoviária da capital será revitalizada e terá sede da Guarda Municipal

Projeto da Prefeitura de Campo Grande objetiva reformar as áreas públicas e Associação dos Lojistas o espaço privado

Camila Silveira, Gabriel Sato e Gerson Wassouf, de Campo Grande10/09/2019 - 01h24
Compartilhe:

O Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR) aprovou, no dia 27 de agosto, novo projeto de revitalização da antiga rodoviária de Campo Grande. Cerca de seis mil metros quadrados, que equivalem a 11% pertencentes a Prefeitura Municipal de Campo Grande, serão reformados com a liberação de R$ 22 milhões de verba. As propostas de revitalização da antiga rodoviária começaram em 2013.

O local é uma área pública, desativada em 2010, com lojas particulares do Centro Comercial Condomínio Terminal Oeste. De acordo com o vendedor de roupas, José Paulino, que trabalha há mais de 29 anos na região, a revitalização é necessária para atrair clientes. "Atualmente, meus fregueses são antigos e fixos, mas cheguei a ter quatro funcionários e a minha família me ajudava. Agora, fico sozinho e quase não vendo mais nada, estou aguardando o retorno das boas vendas”.

A região concentra usuários de drogas e pessoas em situação de rua, que circulam pelo local. A proprietária de salão de beleza, Marina Ferreira afirma que perdeu inúmeras clientes devido à falta de segurança. Ela trabalha na região da antiga rodoviária há 19 anos e ressalta que, desde 2010, a Prefeitura apresentou diversos projetos de revitalização e nenhum foi concluído. "Estou cansada de promessas. Quando comecei a trabalhar aqui era muito bom, eu tinha muitas clientes que vinham de fora, chegava a trabalhar até duas horas da manhã, tinha duas funcionárias e nós não dávamos conta de tanto movimento no salão de beleza Hoje, eu fico aqui sozinha".

A antiga rodoviária está localizada no bairro Amambaí, área mais antiga no centro da capital. De acordo com o assessor de imprensa da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos de Campo Grande (Sisep), Flávio Paes o objetivo da Prefeitura é aumentar a segurança pública no local, com a instalação da Guarda Civil Metropolitana no piso superior do prédio. "Existe o desejo e o planejamento de transferir o comando, centralizar a Guarda Civil Metropolitana na região da antiga rodoviária, mas isso precisa ainda de análise mais profundas para poder ser efetivado, está em estudo. O que está certo é que a finalidade é garantir aos comerciantes mais segurança e consequentemente aumento do número de clientes no prédio". 

O comerciante Paulino ressalta que a revitalização é o recomeço para o comércio, que possui 233 lojas, das quais 40 estão em funcionamento. "Se acontecer a reforma como estão falando, a ligação desta antiga rodoviária com a atual pode melhorar e muito a clientela de todos os comerciantes daqui, que aguardam mais uma vez a conclusão de uma nova promessa. Alguns ainda estão trabalhando e outros com as portas fechadas". 

Para a presidente da Associação dos Lojistas da Antiga Rodoviária, Laci Ávila a Prefeitura realiza a revitalização do local e os comerciantes irão reformar seus estabelecimentos. “Assim que a Prefeitura começar a reforma, os lojistas se comprometerão a iniciar as mudanças e melhorias em suas lojas, visando uma ação conjunta para a reforma ser concluída dentro e fora do prédio. Todos já estão ansiosos para o começo das obras”. Laci Ávila é aposentada e lojista há oito anos. Ela explica que se tornou presidente da Associação para defender os interesses dos trabalhadores da antiga rodoviária. Segundo ela, a maioria dos lojistas dependem do dinheiro do comércio para seu sustento. 

As lojas que permanecem no prédio funcionam em horário comercial, de segunda à sexta das 7h às 18h e aos sábados das 7h às 12h. São 40 estabelecimentos, que ficam abertos todos os dias. O prédio ainda abriga o comércio de alimentos, conhecidos como food truck, que atendem durante à noite na área externa do edifício. 

Compartilhe:

Deixe seu Comentário

Leia Também