CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  sexta, 22 de setembro de 2017
 
4 de maio de 2015 - 16h18

Ciclovias de Campo Grande tem falhas de estrutura e comprometem a segurança dos ciclistas

Malha cicloviária é insuficiente, distribuída de forma inadequada e sem interligação

SAULO MACIEL
Ciclovia em frente ao aeroporto sem guias de acessibildade e com problemas de escoamento de águaCiclovia em frente ao aeroporto sem guias de acessibildade e com problemas de escoamento de água  (Foto: Saulo Maciel)

Ciclistas da Capital reclamam de falhas técnicas nas ciclovias. A falta de interligação das vias, trechos estreitos sem proteção, degraus de alto risco e a falta de manutenção periódica provocam insegurança e podem causar acidentes. Campo Grande ocupa a quarta posição em extensão de ciclovia por habitante do Brasil. São 10,8 km para cada 100 mil habitantes, com estrutura de malha cicloviária que não oferece condições de segurança. 

A ciclista Laryssa Peixoto, 28, que utiliza a bicicleta para ir ao trabalho, diz que o trajeto com ciclovia tem vários trechos inviáveis para o trânsito seguro.

O estudante de jornalismo, Clayton Ambrósio, faz uso de sua bicicleta como meio de transporte e diz que as vias existentes são razoáveis, não atendem a demanda e foram mal-feitas. Segundo ele, não existe proteção adequada e há falta de segurança. "Boa parte delas são muito próximas aos carros que estão passando, não tem proteção, não tem um muro separando a ciclovia dos carros, como já aconteceu alguns acidentes de carros que invadiram as ciclovias e atropelaram pessoas."

O vereador e membro da Rede de Ação Política pela Sustentabilidade, Eduardo Romero explica que as ciclovias são importantes para a segurança dos ciclistas. Segundo ele, cabe às políticas públicas melhorarem esse aspecto da mobilidade para que as pessoas se sintam seguras na utilização das bicicletas.

Romero, que também é presidente da Comissão Permanente de Meio Ambiente da Câmara Municipal, diz que o governo federal investiu em todas as cidades do país, "Não podemos dizer que somos mal servidos, não podemos dizer também que isso resolve o problema da cidade, mas mais do que isso a gente precisa fazer uma conscientização da mobilidade como um todo".

Segundo Assessoria de Imprensa  da prefeitura, Campo Grande tem 71 km oficiais de ciclovias, ciclofaixas e calçadas compartilhadas, e mais 20 km não oficiais, num total de 91 km. São cerca de 10,8 km para cada 100 mil habitantes

O Instituto de Planejamento Urbano, Planurb, apresentou um projeto para a ampliação das ciclovias que não atende a demanda mínima de interligação. No planejamento, está previsto a criação de 4,4 km, trajeto que representa apenas 55% do que é o necessário para melhorar a estrutura.

Malha cicloviária de Campo Grande e previsão para o próximo ano. (Fonte: Vereador Eduardo Romero) 
COMENTÁRIOS
 © Copyright 2017 Primeira Notícia