CAMPO GRANDE19º MIN 26º MAX
Primeira Notícia UFMS
  sábado, 22 de julho de 2017
 
11 de dezembro de 2016 - 20h34

Campo Grande recebe reforço policial para festas de fim de ano

O policiamento será intensificado nas regiões do comércio central, shoppings, corredores comerciais e feiras livres

CAMILA VILAR E JÚLIA VERENA
O quadro efetivo de policiais do Comando de Policiamento Metropolitano (CPM) aumentou em 44,5%O quadro efetivo de policiais do Comando de Policiamento Metropolitano (CPM) aumentou em 44,5%  (Foto: Júlia Verena)

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), em parceria com a Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG) e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), deu início à operação “Cidade Segura”, no dia três de dezembro. O objetivo é reforçar as ações de segurança nas regiões comerciais da capital sul-mato-grossense e nos municípios do interior. Segundo o presidente da ACICG, João Carlos Polidoro os locais onde o patrulhamento será feito foram escolhidos a partir de reivindicações dos empresários da associação.

A operação disponibilizou quatro mil policiais em todo o estado e as ações de segurança serão concluídas no dia oito de janeiro. No lançamento da ação, o governador do estado, Reinaldo Azambuja entregou 12 caminhonetes, oito para a Polícia Militar, e seis viaturas para a Coordenadoria Geral de Perícias. O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa afirma que estas ações de segurança fazem parte do programa “MS mais Seguro”. O projeto, iniciado em julho deste ano, tem R$ 96 milhões para investimento na segurança pública do estado.

O reforço policial em Campo Grande, coordenado pelo Comando de Policiamento Metropolitano (CPM), terá aumento de 400 homens e mulheres no quadro efetivo, com um total de 1.300 policiais. Destes, 210 realizam cursos de formação na Academia de Polícia Militar. De acordo com o comandante do CPM, coronel Waldir Ribeiro Acosta a operação tem o objetivo de reduzir os índices de criminalidade nos centros comerciais. “Nós da polícia militar, através do Comando de Policiamento Metropolitano, empenhamos todas as nossas forças para garantir que todos os cidadãos da nossa capital e adjacentes possam realizar suas compras e andar pelas ruas com a certeza de que a polícia militar e os demais órgãos de segurança pública estarão presentes e prontos a atendê-los”.

Segundo a aposentada Salvadora Cardoso, moradora do bairro Oliveira III, localizado a 7,5 km do centro da cidade, falta segurança nos bairros periféricos e é por este motivo que os índices de criminalidade aumentam. Para Salvadora Cardoso, é necessário aumentar também o número de policiais. “Não dá nem para citar as coisas que acontece porque é geral; eles focam mais é na segurança no centro da cidade, eles deveriam focar, também, em vários bairros”.

De acordo com o presidente da ACICG, João Carlos Polidoro o reforço da segurança pública é fundamental para evitar prejuízos financeiros dos comerciantes durante as festas de natal e ano novo. Segundo Polidoro, a associação faz pesquisas nos bairros para verificar o nível de segurança dos estabelecimentos comerciais. Polidoro afirma que quando há necessidade, como aconteceu no bairro Coronel Almeida, é encaminhado às autoridades um pedido para reforçar o policiamento da região. "A missão da Associação Comercial é promover a união da classe empresarial, fortalecendo sua atuação e influência nas áreas política, econômica e social, viabilizando o seu desenvolvimento de forma sustentável, por isso, nosso papel é cobrar do poder público, mas também contribuir, dar soluções para os problemas".

Durante os meses de dezembro de 2015 e janeiro de 2016, houve 1288 ocorrências de roubo e 2842 ocorrências de furto, ação caracterizada pela subtração de um bem material quando não há contato entre o criminoso e a vítima, conforme dados disponibilizados na página de estatísticas da Sejusp. Durante a campanha “Cidade Segura” os policiais fazem patrulha até as 23h00. Além do comércio central, outros bairros e avenidas também são contemplados pela operação como, por exemplo, Moreninhas, Tiradentes, Nova Lima e Jardim Parati, avenidas Júlio de Castilho, Manoel da Costa Lima, Raquel de Queiroz, Marquês de Pombal e Bom Pastor.

COMENTÁRIOS
 © Copyright 2017 Primeira Notícia