TRANSPORTE

Aeroporto Internacional de Campo Grande aumenta capacidade em 80% após reforma

A capacidade de operação entre embarque e desembarque do terminal internacional da Capital saiu de 2,5 para 4,5 milhões

Carla Andréa, Gabriel Neri, Gabriella Gomes e Leandra Mergener16/09/2021 - 15h33
Compartilhe:

As obras de revitalização e ampliação do Aeroporto Internacional de Campo Grande expandiram a capacidade de fluxo de passageiros em 80%. As mudanças abrageram diversos setores do terminal aeroportuário como salas de embarque, saguão, área comercial, banheiros e rampas para acessibilidade. Além do setor interno, pátios das aeronaves, acesso viário ao terminal e recuperação da drenagem foram mudanças nas estruturas externas.

O custo total da obra foi de R$ 70 milhões por meio de recursos do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC), administrado pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). O terminal, localizado na Avenida Duque de Caxias, é o principal aeroporto de Mato Grosso do Sul. A capacidade de embarques e desembarques que era de 2,5 milhões por ano agora é de 4,5 milhões.

Segundo o gerente de obras do Aeroporto de Campo Grande, Eric Teixeira a acessibilidade foi um dos itens de melhoria. A administração do Aeroporto considerou a necessidade dessas novas estruturas para atender pessoas com deficiência (PcD). “Nós temos novos sanitários, totalmente acessíveis aos deficientes, instalação de piso tátil em todo aeroporto, corrimãos acessíveis e rampas de acesso ao aeroporto”.

As mudanças incluíram estruturas para deixar o terminal mais sustentável com novo sistema de iluminação e captação de água. Toda iluminação do aeroporto será com lâmpadas de diodos emissores de luz (LED), o que traz maior economia de energia elétrica. “Hoje, nosso aeroporto vai coletar água da chuva e canalizar para um reservatório de 360 metros cúbicos, o que sustenta o aeroporto por três meses durante a estiagem. Água que será usada nas áreas verdes, sanitários e torneiras”. 

Durante o período de obras, as companhias aéreas passaram por algumas alterações, como explica a assessora de Comunicação da Azul Linhas Aéreas, Giovanna Spilborghs. “A pista do aeroporto esteve interditada em determinados períodos do dia, a Azul precisou remanejar a sua operação, reduzindo para um voo diário com destino a Viracopos”. Ela acrescentou que a companhia avalia a inclusão de novos voos em horários possíveis diante do espaço e da capacidade do terminal, além da expectativa em ampliar a oferta de destinos, como voos para Cuiabá e Curitiba.

O turismo em Mato Grosso do Sul também se beneficiará com as novas instalações do Aeroporto Internacional de Campo Grande. A gerente do Observatório do Turismo de Mato Grosso do Sul, Danielle Cardoso informa que a retração durante a pandemia de coronavírus foi intensa. De março até junho de 2020, durante as medidas mais restritivas para conter os casos de Covid-19, esse setor reduziu rendimentos. A retomada, de acordo com a gerente, ocorreu a partir de julho do ano passado, momento de reabertura dos destinos turísticos em MS.

Primeira Notícia · Gerente Do Observatório De Turismo Explica O Perfil Dos Passageiros No Aeroporto Internacional De CG

 

Segundo a gerente, a redução de embarques e desembarques ainda é expressiva neste ano, quando comparada ao período anterior à pandemia. O Observatório sequer considera o ano passado para fazer análises. “A margem de redução dos voos é ainda grande se compararmos o ano de 2019, pré-pandemia, e o de 2021 que é após”.

Danielle Cardoso ressalta que a ampliação da capacidade de embarcar e desembarcar mais pessoas, de forma mais eficiente, deve ajudar o turismo sul-mato-grossense. “A reforma do Aeroporto trará grandes benefícios, principalmente porque existe a possibilidade de aumento de voos, novos horários e novas rotas. Os turistas demandam outros caminhos de chegada ao Mato Grosso do Sul”. 

A série histórica de embarques e desembarques no Aeroporto chega aos 1,5 milhão por ano. A partir do término das obras observaram-se o aumento ou retração no movimento de passageiros. O terminal é uma das portas de entrada para os turistas no Estado e o Observatório do Turismo mapeia o destino dos visitantes. Os principais lugares são Campo Grande, Bonito e a Região Pantaneira, que abrange as cidades de Aquidauana, Corumbá e Miranda.

Compartilhe:

Deixe seu Comentário